TERMÔMETRO...

                 Laerte Antonio

 

Termômetro...

 

Todo o conforto da amizade é ir

jogando para o outro o que se sente

e vive no momento — soltamente —

sem preocupações de transgredir...

 

Sim: seu conforto mágico é sentir

que se pode tirar tranqüilamente

as máscaras do rosto a delinqüir...

e poder conversar gente com gente.

 

E explodem “nãos” por “sins” e “sins” por “nãos” ...

e o que soou, soou... falou, voou...

E ao fim de ciências-chistes-e-pesares —

 

joga-se para cima o que restou...

E os bugalhos revoam pelos ares

e voltam as sementes para as mãos.