CANÇÃO PARA JOSEFINA

                                      Laerte Antonio

 

 

 

Tem dias, Zefa, que é melhor morrer.

Mas como não adiantaria —

a gente volta até com alegria

para a mania de viver.

 

Que ao menos a alma, Zefa,

esteja sempre de pé.

Quando estiver escuro —

possamos enxergar

com os olhos da fé.

Se o amor é pobre —

tenhamos paciência

com nosso coração.

Se tem mentido a esperança —

nem por isso neguemos a verdade.

 

Tem dias, Zefa,

que é noite em alma —

noite chorando chuva fria...

Mas de repente,

sem que se saiba, Zefa,

o galo canta um novo dia.